gallery/logomoldura

CONGREGAÇÃO YAOSHORUL'ITA oCAMINHO

gallery/jerus

CREMOS E ENSINAMOS QUE...

gallery/bib

1. As Escrituras Sagradas [unitariana] é a infalível e inspirada Palavra de YAOHUH (O Ser Supremo e Eterno) e é a Sua revelação escrita ao homem através de seu Filho Unigênito, YAOHU’SHUA. Por isso, ela é a autoridade máxima em assuntos espirituais. II Tm 3:16.

 

2. Há um só ULHIM (a Plenitude do Ser Criador Todo-Poderoso; Eterno), e YAOHUH é o Seu NOME (Dt 6:4), e Pai (ABU) de YAOHU’SHUA (Aquele que trás a Salvação de UL’HIM), o Filho Unigênito, gerado pelo Seu Abi, antes da eternidade (antes da criação do tempo, um fator delimitador do pecado). Pv 8:22-30.


3. Assim, pois, o RUKHA-YAOHUH não é uma outra pessoa (3ª) na Divindade, mas sim a manifestação, em rukha (espírito) do próprio YAOHUH-ABI (Jo 4:24) ou do Seu Filho YAOHU’SHUA (At 20:28) que em Sua onipresença, habita em nós (Jo 14:17-23; Ap 3:20) pois, ambos são RUKHA [onipresente] que é ha’Kod’shua (o Santo)! I Co 8:5-6. Sabemos que ambos - Pai e Filho - fazem do nosso corpo, um templo espiritual cf Suas promessas em Jo 14:21,23. (Mt 18:20).


4. YAOHUSHUA hol’Mehushkyah (o Messias) veio ao mundo nascido de Maria/Maor'em e de José/Yaohusáf da linhagem de Davi/Dáoud, através do poder de 'RUKHA ha’Kod’shua – YAOHUH UL’HIM, em espírito (Yaohukhánan/João 4:24) que proveu um corpo para que o Rukha-YAOHU’SHUA (o Messias, em espírito) pudesse habitar (Yaohudim/Hebreus 10:5), e assim, realizar uma obra de redenção através de Sua vida santa, Sua morte em lugar dos injustos em uma quarta-feira, e Sua ressurreição gloriosa três dias depois de Sua crucificação, cumprindo assim Sua palavra sobre o sinal de Jonas/Yao’nah (Mt 12:39-40), ressuscitando nos minutos finais do Shabbós ha’Kod’shua.


5. Todos os homens são pecadores e por isso estão debaixo da ira de YAOHUH UL’HIM. O ser humano só pode ser salvo se crer exclusivamente em YAOHUSHUA e demonstrar publicamente, através da Teviláh (batismo por imersão em águas), em Nome de YAOHU’SHUA conforme lemos em At 2:39, Rm 6:1-6; Cl 2:12.


6. O Molkh’ul (Rei) YAOHU’SHUA voltará em breve, trazendo consigo TODOS os salvos de todas as épocas que neste momento ressuscitarão e para levar [arrebatar] consigo até a Jerusalém/Yah’shua-oléym terreal, através das nuvens [de anjos], todos aqueles que O receberam como hol’Mehushkyah (Messias) e Mihu’shuayao (Salvador) pessoal (I Ts 4:15-17), estabelecendo assim, Seu reino milenial sobre toda a Terra. At 15:16 cf Dn 2:35.


7. Todos os seres humanos comparecerão ante o Tribunal de YAOHUH UL’HIM (Dn 12:2), para receber a recompensa dos seus feitos em favor da causa de YAOHU’SHUA ou não; (II Co 5:10) e isto por ocasião da primeira morte de cada um ou para os vivos, durante o governo milenar (I Co 6:2), na Terra.


8. Ocorrerá um juízo vindouro, após o milênio e após a destruição final de ha’satan (Ap 20:9), que condenará os infiéis e todos aqueles que nunca aceitaram o poder remidor do Sangue derramado na cruz por YAOHU’SHUA (Ap 20:11-15). Depois disto, o inferno [sheol, sepultura, etc] e a morte serão lançados no Lago de Fogo (comprovando assim que não há tormento eterno), dando início à eternidade (fim da razão de existir o tempo)!


9. Depois destas coisas... Novos Céus e Nova Terra; a Jerusalém/Yah’shua-oléym prometida (Jo 14:1-3) desce para tomar lugar da Cidade Querida que por mil anos, foi sede do Trono do Mehushkyah (Messias). Juntamente com ela, o próprio UL’HIM descerá para habitar com todos nós, os salvos, por toda a eternidade! Ap 21:1-3.


10. Não há nenhum outro Nome sob os céus dado aos homens, pelo qual importa que sejamos salvos (Atos 4:12), e este Nome é YAOHU’SHUA, ao qual todo joelho deve se dobrar e toda língua confessar que o Molk’ul YAOHU’SHUA é o Rei de todos (Rm 14:11), para a glória de YAOHUH UL’HIM, o Altíssimo.


Amnao (amém)!

DEFESA DE NOSSA FÉ

1. Cremos que existe um só UL’HIM e que o Seu NOME é YAOHUH (Lê-se IAORRU) - O Ser Criador Todo-Poderoso e Eterno (não em três pessoas), pessoal, um Ser Espiritual, o Originador de todas as coisas, Onipotente, Onisciente, único Eterno; Infinito em conhecimento, santidade, justiça, bondade, verdade e misericórdia; imutável, e que Se faz presente em todos os lugares em RUKHA ha’Kod’shua Espírito, que é Santo). Sl 139:7. I Tm 6:16.

 

2. Cremos que existe um só Messias (hol’Mehushkyah), YAOHU’SHUA (Lê-se IA-O-RRU-CHUA, corrompido para jesus - Ap 13:8), o Filho gerado do Eterno Pai – ABU/ABI (Pv 8:22-30 - A Sabedoria é YAOHU’SHUA que teve início no Pai, antes de existir o tempo e, por isto eterno com o Abi), o único por quem foram criadas todas as coisas, e por meio de quem elas existem (Jo 1:1-3; Hb 1:2); que Ele tomou a natureza da semente de Abraão para a redenção de nossa raça caída; que Ele residiu entre os homens, cheio de graça e verdade, viveu nosso exemplo, morreu nosso sacrifício, foi ressuscitado pelo YAOHUH ABI para a nossa justificação, ascendeu ao alto – 40 dias depois da Ressurreição/At 1:6-9 - para ser nosso único mediador (e exemplo cf. Jo 16:33) - junto ao trono do ABU (Ap 3:21) no santuário celestial, onde através dos méritos de Seu sangue derramado, assegurou o perdão e absolvição dos pecados de todos aqueles que persistentemente se achegam à Ele; e como o encerramento de parte do Seu trabalho de sacerdote, antes de assentar-Se em Seu trono como Rei (Molkh’ul), Ele realizou na cruz a expiação por todos, e todos os pecados cometidos fora do santuário serão apagados (Atos 3:19), como mostrava-nos o serviço do sacerdócio levítico, o qual apontava e prefigurava o ministério de nosso Mehush-kyah/Messias. Veja Lv 16; Hb 8:4, 5; 9:6, 7.


3. Cremos que as Festas Escriturísticas (Lv 23:1-28) foram dadas aos homens de todos os tempos como sombras e prenúncios da obra do nosso Messias - judaico (Jo 4:22) - e que os principais fatos da obra terrena de YAOHU’SHUA deu-se/dará em uma Festa Escriturística... Nascimento, morte e volta! Na Festa dos Tabernáculo, seu nascimento [por volta de setembro/outubro]; morte na cruz em uma Posqa’yao como o nosso Cordeiro e a Sua volta dar-se-á em uma Festa dos Tabernáculos! A Sua própria manifestação, em espírito, se deu no Pentecostes que é a Festa da Colheita. Abominamos as festas pagãs tais como natal em 25 de dezembro, o 1° dia do ano temporal e a Posqa’yao em data não escriturística, seguindo a ICAR com seus coelhinhos de chocolate! Até mesmo comemorar o nosso nascimento (aniversário natalício), vem do paganismo e nas Escrituras, as únicas comemorações foram de um Faraó e do rei Herodes; ambos, pagãos...


4. Cremos que as Santas Escrituras do Velho e do Novo Testamento - simbolizadas pelas velas do Shabbós - foram dadas pela inspiração de YAOHUH UL’HIM (o ABI de YAOHU’SHUA); possuem uma completa revelação de Sua vontade para o homem e são a única e infalível regra de fé e prática - II Tm 3:16. Entendemos também que as Escrituras representam em Sua totalidade o Espírito da Profecia (Ap 14:17; 19:10), pois apresentam toda a Verdade revelada – Hb 1:1-2. No entanto, homens a serviço de ha'satan a tem corrompido e por isto a necessidade de resgatá-la à luz dos primeiros escritos, siríaco (hebraico arcaico), principalmente quanto à sua unitarianidade e aos Nomes dos profetas que, ao serem "traduzidos", perderam a sua teofania [sentido profético]!


5. Cremos que o Batismo/Teviláh [imersão] é uma ordenança da igreja cristã para acompanhar a fé e o arrependimento e que deve ser feita em o Nome de YAOHUSHUA (At 2:38) uma vez que consideramos Mt 28:19 apócrifo já que não encontramos nas Escrituras nenhuma imersão segundo esta pretensa formula batismal; uma ordenança na qual comemoramos a ressurreição de YAOHU’SHUA, que por este ato demonstramos nossa fé em Sua morte e ressurreição, e por meio da qual, na ressurreição de todos os santos dos últimos dias; e que, não existe outro meio mais adequado para representar estes fatos que as Escrituras prescrevem, denominado imersão. Sendo o sangue de YAOHU’SHUA o único meio de redenção, não podemos crer que homens santos estejam justificados por outros meios, que não o da cruz e por isto ficamos com as palavras de Hebreus (Yaohudins) onde nos diz que todos morreram (Enoque/Kanóch, Elias/Uli’Yaohuh e Moisés/ Mehu’shua) e continuam nas sepulturas aguardando aquele grande dia (Hb 11:39-40).


OBS: Veja no fim do texto, um modelo de voto para a Imersão em Nome de YAOHU’SHUA!


6. Cremos que o novo nascimento compreende uma completa mudança necessária para nos preparar para o Reino de YAOHU’SHUA (aqui na Terra), e que consiste de duas partes: Primeira, uma transformação moral moldado pela conversão e uma vida cristã (Jo 5:3); Segunda, uma mudança corporal por ocasião da segunda vinda de YAOHU’SHUA, segundo a qual, se morrermos, nós ressuscitaremos incorruptíveis, e se estivermos vivos, seremos transformados para a imortalidade num momento, em um piscar de olhos. Lc 20:36; I Co 15:51, 52. E, os injustos participam na segunda ressurreição, que acontecerá após o milênio, para a sua final perdição. Ap 20:4-6, 11-15. Porém, alguns destes ímpios – marcados em suas mãos por há’satan – sobreviverão ao Armagedom (sexta-praga da Grande Tribulação) e adentrarão o Milênio – Is 24:6; Jr 4:27. Nações se formarão durante o governo milenar de YAOHU’SHUA sobre a Terra (Is 65; 66) e estes serão julgados no fim do milênio... Ap 20:4. Sabemos que o coração carnal ou natural é inimigo de YAOHUH UL’HIM e de Sua Lei e que este inimigo só pode ser subjugado através de uma transformação radical das afeições, e a substituição dos princípios não santificados por princípios santificados; que esta transformação compreende o arrependimento e a fé, e é uma obra especial realizada por YAOHU’SHUA, em rukha (espírito), que constitui a conversão ou regeneração. Jo 6:39; Hb 2:13.


7. Cremos que a Profecia é uma parte da revelação de YAOHUH UL’HIM ao homem; que ela está inserida nas Escrituras, a qual é proveitosa para instrução (II Tm 3:16); que ela é designada para nós e para nossos filhos (Dt 29:29); que, em grande parte, Sua existência está envolvida em impenetrável mistério, porém revelada aos simples (Lc 8:10); é ela que constitui especialmente a Palavra de YAOHUH UL’HIM numa Lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos Caminhos (Sl 119:105; II Pd 1:19); que uma bênção é pronunciada sobre aqueles que a estudam (Ap 1:3); e que, consequentemente; ela pode ser compreendida suficientemente pelo povo de YAOHUH UL’HIM para mostrar-lhes a sua posição na história do mundo e a especial responsabilidade colocada em suas mãos. Mt 11:25; 13:11; Jo 14:29.


8. Cremos que o período de 2.300 dias de Dn 8:14 são dias literais (Gn 1:5) e, portanto, não se pode tirar deles, 490 anos (70 semanas – Dn 9:24-27) uma vez que esta profecia (das Setenta Semanas) veio como explicação a Daniel (Dayan'ul) que não compreendera a visão das tardes e manhãs (Dn 8:26-27). Portanto, em realidade, é das 490 semanas que tiramos as 2.300 tardes e manhãs, sendo esta a última semana dada ao povo judeu (Dn 9:26 à uma semana = sete anos = 2.520 dias. De 2.520 dias tiramos os dias em que YAOHU’SHUA não pregou, ou seja: 180 dias de diferença de idade entre Ele e João [Yaohu’khanan], o imersor, mais os 40 dias no deserto temos 220 dias... 2.520 – 220 = 2.300 dias para que o santuário celestial fosse purificado da presença de ha’satan – Ap 12:7-9 – vencido na cruz; cf vs 11, 12) e, portanto, representa o ministério terreal do Messias... Isto implica na não existência de um juízo investigativo (Hb 10:14-18; Jo 3:18; 5:24; Ap 3:21; Jo 10:14; II Tim 2:19)!


9. Cremos que a história mundial possui datas marcadas no passado, o surgimento e queda dos impérios, e a sucessão cronológica de eventos que servem de plano de fundo do Reino Eterno de YAOHUH UL’HIM sobre a Terra, são delineadas numa grande corrente de Profecias e Festas Bíblicas – que apontam para o Ministério de YAOHU’SHUA e por isto ainda comemoradas em nossos dias; e, que todas essas profecias estão agora cumprindo-se nas cenas finais. Aguardamos agora apenas o estabelecimento do último Reino terreal e mundial: a PEDRA – YAOHU’SHUA (Dn 2:44, 45) que ocorrerá em uma Festa de Sukot (Tabernáculo)!

 

OBS: Clic Aqui e saiba tudo sobre as Festas Escriturtísticas, ainda válidas para os nossos dias...


10. Cremos que a doutrina da conversão mundial do povo judaico (Rm 11:11-15, 20-26) e de um milênio temporal (terreal – Dn 2:44), são verdades destes últimos dias, mostrada para que tenhamos o necessário preparo e que assim não sejamos surpreendidos pelo grande dia do Mehushkyah/Messias que vem como o ladrão à noite (I Ts 5:3). Portanto, restando-lhes ainda a possibilidade de serem re-enxertado à árvore de sua origem que um dia negaram (Rm 11:23), restaurando assim o Povo de YAOHUH UL’HIM (Rm 11:1 cf Jr 31:31-33); isto antes da porta da Graça ser fechada (Ap 16:17); que a Segunda Vinda de YAOHU’SHUA precede, não segue, o milênio; até o Mehushkyah/Messias aparecer, o poder papal, com todas as suas abominações, continua (II Ts 2:8), a exemplo do trigo e do joio que crescem juntos, até aquele momento em que o Mehushkyah/Messias envie os Seus anjos para atarem os ímpios (joio) e os consumam no fogo de Sua Glória (Mt 13:29, 30 e 39), e que o sedutor homem da iniquidade torna-se cada vez pior, como a Palavra de YAOHUH UL’HIM declara. II Tm. 3:1 e 13. Portanto, as Escrituras ensinam a existência de um único Povo do Eterno e que gentios não é a substituição deste Povo por outro, [igreja gentílica], pois nas Escrituras, gentios são os descendentes das 10 tribos [a Casa de Yaoshor'ul – Is 9:1] espalhadas pelo mundo. YAOHU’SHUA veio para resgatá-los [Mt 10:6; 15:24] e Sha'ul, o apostolo dos gentios, continuou neste resgate [Rm 11:1-5; 25]!


11. Cremos que o Santuário da Renovada Aliança (não Nova, como lemos em nossas Escrituras paganizadas) é o tabernáculo de YAOHUH UL’HIM no Céu, do qual fala-nos Hb 8 e mais adiante, e do qual o nosso Mehushkyah/Messias, como o Grande sumo-sacerdote, é Ministro; que este santuário é o antítipo do tabernáculo Mosaico, e que o ministério sacerdotal de nosso Mehushkyah/Messias, associado a isso, é o antítipo do ministério dos sacerdotes levitas da antiga dispensação (Hb 8:1-5;) e que começou imediatamente após a Sua ascensão (e não em 1844/1914) para sentar-se ao lado do Pai, no Santíssimo, lugar do Seu trono (I Pd 3:22) e de lá intercede, como único intercessor [Hb 7:25, Rm 8:26, 34]. Futuramente, na Nova/B'rit Yah’shua-oléym, entre os homens não haverá necessidade de um santuário, uma vez que o ETERNO estará entre nós! Ap 21:2.


12. Cremos que os requisitos morais de YAOHU’SHUA são os mesmos para todos os homens em todo os tempos, (sendo que o conceito das dispensações é anti-escriturístico); que estes estão sumariamente contidos nos mandamentos proclamados por YAOHUH UL’HIM através de YAOHU’SHUA no Sinai [na Arábia, não no Egito, como o mundo crê - Gl 4:25], as Dez Palavras, gravados em tábuas de pedra, e colocados na Arca, a qual era chamada de “arca da aliança” ou do concerto (Nm 10:33; Hb 9:4, etc); que esta Lei é imutável e perpétua (Mt 5:17-19), sendo uma transcrição das tábuas colocadas na arca no verdadeiro santuário que se encontra no céu, e que foi vista em seu templo. Ap 11:19; o qual é também, pela mesma razão, chamada a arca do concerto de YAOHUH UL’HIM; e que ao soar da sétima trombeta [Sukot] nós saberemos que “o Templo de YAOHUH UL’HIM" foi aberto, no céu, para anunciar a Volta do nosso Mehushkyah/Messias, conforme prometera – Jo 14:3, 18.


Nota de o Caminho: Temos por bom tom, não considerar as leis da Toráh - 613 LEIS – em sua totalidade, pois devemos levar em consideração a decisão do concílio de Jerusalém/Yah’shua-oléym (At 15) onde atos judaizantes - circuncisão, kipá e ou cobrir a cabeça com o talit, etc – não devem ser considerados; além de que muitas destas leis CUMPRIRAM-SE em YAOHU’SHUA tais como os sacrifícios de animais e leis que tinham o poder de preparar – moralmente – o Seu Povo, perderam sua utilidade e ou são impraticáveis nos dias de hoje tais como o pó da Vaca Vermelha ou o atirar pedras em execuções. Estas Leis tendem a manter o muro que separava dois povos – judaicos e gregos/nações [não gentios como muitos dizem uma vez que verdadeiramente gentios são os judaicos apostatados (Casa de Israel) ... Mt 10:6 cf Is 9:1] – pois muitos ainda dizem que os judaicos sanguíneos são obrigados enquanto que os demais, das nações, o podem fazer por opção, principalmente em se tratando da circuncisão... Ef 2:8-16 (Dt 30:6) - Gl 5:4.


13. Cremos que o quarto mandamento desta Lei requer que nós dediquemos o sétimo dia de cada semana, comumente chamado de SÁBADO [shabbós], para nos abster de nosso labor (obra remunerada), para a realização do sagrado serviço religioso de um pôr ao outro pôr-do-sol; que este é o único Sábado declarado nas Escrituras como sendo o Dia do Mehushkyah/Messias; sendo o dia que foi separado antes, no Paraíso perdido (Gn 2:2, 3), e o qual será observado no Reino Messiânico durante a restauração edênica (Is 66:22, 23); que a realidade sobre a qual a instituição do Sábado está baseada delimita-o ao sétimo dia, e nenhum outro dia como verdadeiro, e que o termo, Sábado Judeu, é aplicado ao sétimo dia, e Sábado cristão, como aplicado ao primeiro dia da semana, são termos de invenção humana, sem provas escriturísticas, e falsas em seu significado.


14. Cremos que como o homem do pecado, o papado, intentou mudar os tempos e as leis (a lei de YAOHUH UL’HIM, Dn 7:25), e enganou a maior parte dos crentes em YAOHU’SHUA com respeito ao quarto mandamento; nós encontramos uma profecia de reforma (purificação pessoal) neste aspecto para ser realizada entre os crentes (I Co 3:16; Ap 3:20) precisamente antes que ocorra o retorno de YAOHU’SHUA. Is 56:1, 2; I Pd 1:5; Ap14:12, etc.


Nota de oCaminho: Os ditos "crentes" [seguidores da ordem papal] pregam que a Lei foi cravada na cruz [Cl 2:14], mas o bom estudante das Escrituras sabe discernir Lei Moral - insubstituível; Mt 5:18] – da lei dos Cerimoniais que é o tema de Sha'ul aos de Colossos.


15. Cremos que os seguidores de YAOHU’SHUA devem ser um povo peculiar, não seguindo o palavreado mundano, nem andando nos caminhos do mundo (Egito), evitando a todo custo o chamado ecumenismo (II Co 6:14); não amando seus prazeres, nem permitindo estas coisas, considerando o que os apóstolos disseram que “todo aquele que é neste assunto um amigo do mundo é inimigo de YAOHUH UL’HIM” (Tg 4:4); e que como YAOHU’SHUA disse que nós não podemos ter dois mestres, ou seja, ao mesmo tempo servir a YAOHUH UL’HIM e aos prazeres [Baal]. Mt 6:24.


16. Cremos que as Escrituras insistem sobre a simplicidade e modéstia no vestir como uma importante marca do discipulado daqueles que professam ser seguidores d’Aquele que “é humilde e manso de coração”; que os vestidos de ouro, pérolas, e vestes caras, e qualquer outro feito para adornar a pessoa, estimula o orgulho do coração natural constituindo assim a matéria prima para o pecado e deve ser usado com moderação (não proibido) de acordo com I Tm 2:9, 10; I Pd 3:3, 4 e I Co 11 quanto ao não cortar em exagero os cabelos femininos e nem no deixar em exagero o cabelo masculino crescer... Quanto ao uso do véu nos cultos a YAOHUH UL’HIM, cremos ser um cumprimento, testemunho e reconhecimento por parte das santas irmãs da oholyáo de que YAOHU’SHUA é a nossa cabeça, assim como o homem o é da família; mas, do mesmo modo, os varões, JAMAIS devem cobrir a cabeça, durante as orações, em respeito ao CRIADOR ETERNO, YAOHUH UL’HIM... I Co 11:5.


Nota de oCaminho: Também não aceitamos a DESCULPA (dos transgressores judaizantes) de que o assunto de I Co 11 seja VÉU e por isto, o KIPÁ (ou cobrir a cabeça com o Talit durante as orações) está liberado... Também seguir rezas judaicas tendem a ser vãs repetições - Mt 6:7.


17. Cremos que os meios para o suporte da pregação do evangelho entre os homens deverão ser estimulados pelo amor a YAOHUH UL’HIM e às almas (pessoas), não por sorteios ou loterias de igrejas, ou ocasiões designadas para contribuir através de divertimentos frívolos e às inclinações do pecado para a satisfação do apetite tais como quermesses, festivais, eventos sociais insanos, etc, as quais são uma desgraça para a professa Kehiláh de YAOHU’SHUA (At 19:23); que a proporção de um rendimento na primeira dispensação não pode ser menor sob o Evangelho; que ela é a mesma que Abraão/Abrul’han (de quem somos filhos, se nós somos de YAOHU’SHUA – Gl 3:29) pagou a Melquisedeque/Molkhi’Tzaodok (tipo de YAOHU’SHUA) quando ele deu um décimo de tudo que havia obtido com as graças de YAOHUH UL’HIM (Hb 7:1-4); portanto, o dízimo, dado por amor e não por imposição [este sistema subsistiu até a cruz], é para o Mehushkyah/Messias (Lv 27:30) e este décimo de um rendimento é também para ser suplementado [ou substituído] pelas ofertas daqueles que estão prontos a dar suporte ao Evangelho (II Co 9:7); tudo para a obra evangelísticas do Mestre!


18. Cremos que todos têm violado a Lei de YAOHUH UL’HIM, e não podem por si mesmos render obediência aos Seus justos reclamos, nós somos dependentes de YAOHU’SHUA, primeiro, para vivermos a justificação de nossas ofensas passadas; e, segundo, através da Sua Graça (Ef 2:8), podemos render-lhe uma obediência aceitável à Sua santa Lei, nas horas certas que virão. O único que redime os pecados é o Sangue derramado na cruz (não existe nenhum outro método - se existisse o Mehushkyah não precisaria morrer na cruz) e por isto, repetimos, nem Enoque/Kanóch, nem Elias/Uli’yaohuh e nem Moisés/Mehu’shua [quanto menos o ladrão, na cruz] estão "JÁ" redimidos... Hb 11:13, 39-40.


19. Cremos que o espírito prometido por YAOHUH UL’HIM (Ap 3:20) foi prometido para manifestar-Se na igreja através de certos dons, referidos em I Co 12 e Efésios 4; que estes dons não são designados para substituir, ou tomar o lugar das Escrituras, a qual é suficiente para nos fazer sábios para a Salvação, além disso, as Escrituras Sagradas podem nos fazer entender a posição do santo Espírito (RUKHA ha’kod’shua, YAOHUH UL’HIM, em espírito – Jo 4:24); em específico os vários canais de sua (its) operação; que o santo Espírito (RUKHA ha’kod’shua - poder de YAOHUH UL’HIM em YAOHU’SHUA) foi feito simplesmente como provisão em relação à Sua (its) - de YAOHU’SHUA - própria existência e presença entre o povo de YAOHUH UL’HIM para o fim dos dias a fim de guiá-los à compreensão da Palavra à qual YAOHUH UL’HIM inspirou, para convencer do pecado, e realizar uma obra de transformação no coração e na vida, e aqueles que negam ao espírito (rukha), seu (it) lugar e operação, fazem claramente uma negação da parte das Escrituras que determina a Ele (YAOHU’SHUA - At 20:28) Seu trabalho e posição, pecando* assim contra o Espírito (RUKHA-YAOHUH UL’HIM) Mt 12:22-32; Atos 2:13.


* Nota de oCaminho: O pecado imperdoável é atribuir a obra que o Pai faz, através do Seu Filho, a outrem [um terceiro deus – ha’satan travestido de ES]...


20. Cremos que YAOHUH UL’HIM, em concordância com Seu relacionamento uniforme com a raça humana, envia avante uma proclamação da proximidade do segundo advento de Seu filho, YAOHU’SHUA; e que este trabalho é simbolizado pelas mensagens de Ap 14; a última mensagem traz uma visão do trabalho de reforma sobre a Lei de YAOHUH UL’HIM, e que Seu povo pode adquirir uma completa preparação para o segundo Advento, isto antes do Armagedom, uma batalha onde as potestades do mal e as hostes celestiais estarão envolvidas, a despeito de ser literal onde as nações mundiais participarão, nesta que antes de tudo é uma guerra contra YAOHUH UL’HIM e Seu povo.


21. Cremos que a sepultura [inferno], local para o qual todos tendemos a ir, expressa pela palavra hebraica “sheol” e a palavra grega “hades”, é um lugar ou condição, no qual não existe trabalho, artimanhas, sabedoria, nem conhecimento e por isto é comparada por YAOHU’SHUA como um “sono” (Mt 9:24; Jo 11:11). Ec 9:10. Portanto, o estado no qual somos reduzidos pela morte é um silêncio de inatividade, e completa inconsciência. Sl 146:4; Ec 9:5,6; Dn 12:2. Isto posto, a parábola do Rico e de Lazaro, são portanto, uma estória posta para o nosso ensino sobre a eficiência das Escrituras em nos ensinar a Verdade e não uma “comprovação” da ‘imortalidade da alma’ e ou ‘céu e inferno’ – aberrações advindas do paganismo pentecostal! Isto posto, imortalidade da alma é anti-escriturístico [Gn 2:7; Ez 18:20]!


22. Cremos que ao soar da última trombeta, como dissemos anteriormente, os justos vivos do povo de YAOHUH UL’HIM, serão transformados em um momento, num piscar de olhos, e que junto com os justos ressurretos serão levados pelos anjos ao encontro com o Mehushkyah/Messias para a Jerusalém (Yah’shua-oleym) terreal – a cidade querida de Ap 20:9 – e estarão para sempre com Ele (I Ts 4:16, 17; I Co 15:51, 52; Jo 14:3); sendo que entre eles haverá um grupo conhecido como sendo os 144 mil – Ap7:4-8; 13-18; 5:10; Is 66:19-21 – judaicos naturais, as primícias colhidas nos dias dos apóstolos até Cornélius (At 10), cujo número é símbolo de uma realidade, representando a plenitude do Mehushkyah/Messias; integrantes da Grande Multidão, nós (Ap 7:9-10)!


23. Cremos que esses imortalizados serão levados pelo céu atmosférico (primeiro céu), para a Jerusalém (Yah’shua-oleym) terreal, onde eles reinarão com YAOHU’SHUA por mil anos, julgando o mundo e os anjos caídos, isto é, que estará sendo preparada a punição que será executada sobre eles no final dos mil anos (Ap 20:4; I Cor. 6:2, 3); que durante este período a terra se encontrará em absoluta paz; e que ha’satan estará literalmente confinado durantes os mil anos (Ap 20:1, 2 cf Lv 16:21, 22) impedido de tentar às nações que se formarão durante o milênio terreal e que ele será finalmente destruído (Ap 20:10; Ml 4:1); ele forjou o lugar de destruição no universo ou seja, a Terra. Sendo apropriadamente feito, por um período de tempo, sua prisão sombria e conseqüentemente o lugar de sua execução final - Ap 20:9-10,14.


24. Cremos que no final dos mil anos ha’satan será solto, reunirá as nações que se formaram durante o milênio (que não conheceram a tentação) e virão sobre a superfície da ainda não renovada terra, e se reunirão ao redor da Cidade Querida, o acampamento dos santos (Ap 20:9) e o fogo de YAOHUH UL’HIM descerá e os devorará (II Pd 3:10). Eles serão consumidos, raiz e ramo (Ml 4:1), tornando como se nunca houvessem existido (Ob 15, 16). Após esta eterna – para sempre – destruição e separação da presença do Mehushkyah/Messias (II Ts 1:9), os ímpios [de todas as eras] ressuscitarão para a sua destruição preparada contra eles (Mt 25:46), a qual é a 2ª e última morte. Rm 6:23; Ap 20:14, 15. Esta é a perdição dos homens descrentes, e o fogo o qual os consumirá será o fogo que por seu intermédio “os céus e a terra, estão agora... reservados”, os quais os elementos serão destruídos com intensidade, e purificará a terra da profunda mancha da maldição do pecado. II Pd 3:10-12. Depois destas coisas, a Nova Jerusalém/Yah’shua-oléym descerá - literalmente - (com suas moradas preparadas por YAOHU’SHUA) para os santos salvo nela habitarem com o nosso YAOHUH UL’HIM que desce com ela... (Ap 21:2). Novos Céus e a Nova Terra brotarão das cinzas dos antigos céus e terra pelo poder de YAOHUH UL’HIM, e esta terra renovada com a Nova Jerusalém/Yah’shua-oléym como sua metrópole e capital serão a eterna herança dos santos (o Paraíso prometido em Jo 14:1-3), o lugar onde a justiça residirá por toda a eternidade, findando assim a razão da existência do tempo! II Pd 3:13; Sl 37:11, 29; Mt 5:5.


Amnao (Amém)!

SOLICITE A SUA IMERSÃO E FAÇA OS SEGUINTES VOTOS:

 

VOTOS PARA A IMERSÃO (TEVILAH)!

1 – Crê em YAOHUH UL’HIM (ia-o-rru ul-rrim), O Ser Criador Todo-Poderoso e Eterno e em YAOHU’SHUA (iau-rru-shua), o Filho unigênito, gerado do ABI-UL antes da eternidade?


2 – Crê que a Divindade Eterna, hoje se faz presente em Espírito, que é Santo e através da Sua Palavra escrita, as Escrituras Sagradas?


3 - E, como o nosso corpo é o santuário deste RUKHA hol-kod’shua (ru-rra rol kod-shu-a), Crê que devemos apresentar-nos puros, sem as contaminações dos alimentos considerados por YAOHUH UL’HIM como imundos e sem os vícios deste mundo tais como bebidas fortes e tabaco?


4 – Crê que, o Sacrifício da cruz foi único e suficiente para remir os nossos pecados e que a única parte que nos cabe é renunciar ao mundo de pecados e aceitar YAOHU’SHUA, como o Seu Salvador?


5 – Crê que, após a morte física e espiritual de YAOHU’SHUA que se deu em uma quarta-feira, Seu YAOHUH-Abi O ressuscitou nas horas finais do Shabbós ha’kod’shua, o santo sábado, e desde então sentou-se ao lado do ABI e vive para interceder por nós, pecadores?


6 – Crê que, segundo as palavras de YAOHU’SHUA durante o Seu ministério terrestre, a Lei, os Escritos e os Profetas, continuam mais válidos do que nunca pois a Terra ainda não passou e que isto ocorrerá somente após o Seu governo milenar e terreal?


7 – Crê que, em Seu breve retorno, YAOHU’SHUA virá ao soar do último shofar, juntamente com TODOS os remidos de todas as épocas que ressuscitam neste momento, para dar fim ao Armagedom, uma guerra literal que se dará na planície do Har’megido, em Israel, contra o povo de YAOHUH UL’HIM e a partir deste momento, os Seus anjos nos reunirá pelas nuvens do céu, levando-nos para a posse do Molkh’ul (Rei) YAOHU’SHUA hol’Mehushkyah (o Messias) (mol-qui-ul iau-rru-shua hol-merrush-quia) de Seu trono sobre a Terra, em Yah'shua-oleym?


8 – Crê na organização do Corpo de YAOHU’SHUA, a Kehiláh de Yaohushua e que segundo Suas próprias palavras em Manyaohu 16:18 este mesmo Corpo continua ativo até o fim dos séculos na forma congregacional com administração local onde um líder – o rosh - ou à vontade dos membros, exerce o papel de instrutor, apascentador e conselheiro e que com as suas contribuições na forma de ofertas ou dizima pactuada, ajudará no crescimento da nossa oholyáo/com-gregação?


9 – Crê que, a única forma de participar de Sua igreja, a Kehilah, é através da imersão total em águas, caracterizando assim, um novo nascimento físico e espiritual e que segundo lemos nas Escrituras, este ato público deve ser realizado em NOME de YAOHU’SHUA, pois é a Ele que foi dada toda a autoridade por YAOHUH UL’HIM?


10 – Crê que somos um grupo de remanescentes desta Kehilah e é o seu desejo fazer parte desta oholyáo/congregação e tem planos de nos ajudar a crescermos, levando para outras pessoas o YAOHU’SHUA que nos salvou?


Sendo assim, passaremos agora à sua imersão onde o próprio YAOHU’SHUA estará presente, em espírito para, a partir de agora, habitar em seu coração.


...e, eu (seu nome) na qualidade de sacerdote da Ordem de Melquisedeque, realizo a imersão da(o) nossa(o) irmã(o) (....) em NOME de YAOHU’SHUA hol’Mehushkyah (iau-rru-shua rol-merrush-quia).

Amnao!

DÚVIDAS!

Nome  
E-mail  
CEP  
Como nos encontrou?  
Mensagem  
gallery/menorahmoving